Notícias

MENSAGEM DO DELLA MORENA (10/07)

Núcleo Digital - 10.jul.2019

Cave um metro a mais, persevere e seja feliz

Está é uma história verídica e aconteceu com um vendedor, que morava na região do Colorado (EUA), há provavelmente, uns quarenta e poucos anos.

Deby era seu nome e ele era casado e não tinha filhos. Insatisfeito com a sacrificada rotina de ser vendedor, um dia sugeriu a esposa que gostaria de vender tudo o que tinham, comprar um pedaço de terra e começar a fazer algo diferente. Depois de muito insistir, ela acabou cedendo.

E assim fizeram: venderam a casa, algumas outras posses e adquiriram uma área bem razoável de terra. Lá construíram uma outra casa, cavaram um poço e começaram a trabalhar a terra. Num belo dia, ele bateu a enxada numas pedras estranhas e, pretenciosamente, lavou-as, colocou-as numa mochila e foi até a cidade vizinha, onde procurou um ourives.

O ourives analisou cada uma das pedras e, finalmente curioso, perguntou a Deby:

-Onde o senhor conseguiu essas pedras?

-Olhe, moço, elas estavam no fundo de um baú lá em casa e me disseram que faziam parte de uma herança de minha avó, dai eu quero saber se elas têm algum valor.

O ourives voltou a falar e disse:

- Pois é elas valem um bom dinheiro. Isto é ouro!

Deby ficou em uma felicidade contida, mal esperando chegar em casa para contar à esposa a grande notícia.

Chegando em casa, pegou-a pela mão e saiu, com a enxada na outra mão, e foram até o local onde ele havia achado as outras pedras. Cavou e achou mais. Cavou em outro e outro lugar e achou de novo. A esposa sabiamente disse:

- Se nós dermos com a língua nos dentes, vamos ficar ilhados. Vai ser uma corrida louca para cá. Acho melhor a gente tentar convencer algumas pessoas da nossa família a fazer o que nós fizemos. Compraremos máquinas, conseguiremos licença para mineração, contratamos quem for necessário e aí nós vamos ficar muito ricos.

E assim fizeram: em menos de três meses estavam de vento em popa, garimpando ouro, muito ouro. Mas em pouco tempo o ouro ficou escasso e , naturalmente, o sonho milionário foi se desmoronando. E as cobranças a Deby e sua esposa eram constantes.

- Vocês disseram que nós íamos ficar ricos e agora, o que produzimos só esta dando para cobrir despesas de manutenção e folha de pagamento dos trabalhadores.

Depois de muitas críticas, Deby resolveu:

- Sabem de uma coisa, vamos vender tudo. Pelo menos a gente recupera o capital empregado. Cada um retorna ao seu antigo trabalho, inclusive eu, que vou voltar para minha vidinha de vendedor.

E assim foi feito: venderam as terras meio imprestáveis e cada um voltou as suas origens.

Por volta de um mês depois, Deby estava andando por uma calçada, segurando sua pastinha de vendedor, e ficou curioso ao ver uma manchete no jornal: "Descoberto o maior filão de ouro do planeta".

Como ele havia trabalhado com ouro até pouco tempo, nada mais natural a curiosidade. Aproximou-se e viu uma foto que lhe fez acelerar o coração, reconheceu uma de suas máquinas e o novo proprietário das terras. Embaixo da foto a legenda: "Se os antigos donos tivessem sido perseverantes, não tivessem desistido, e por outro lado, tivessem cavado um metro a mais de onde a máquina estava, iriam encontrar o que nós encontramos".

Naquele momento, ele tinha duas opções: dar um tiro na cabeça ou levantar e sacudir a poeira, dar a volta por cima e dizer com muita convicção: " a partir de hoje, em qualquer situação da minha vida, jamais deixarei de cavar um metro a mais".

relacionadas